CORTE DE OXALÁ

Coreografia: Walson Botelho e José Carlos Arandiba
Música: Tradicionais afro-religiosas do culto do Candomblé

Quando os portugueses colonizaram o Brasil eles trouxeram diversos hábitos diferentes, que foram decisivos na formação do povo brasileiro. Uma das influências mais marcantes foi a africana, trazida pelos escravos de diversas regiões daquele continente e que se tornou predominante na cultura baiana. Como forma de resistência, os africanos mantiveram, quase que intacta, a sua manifestação religiosa e através dela foram aos poucos dando uma nova forma e conceito aos valores existentes na época. Através desta coreografia alguns dos mais importantes rituais são mostrados, num trabalho de pesquisa que procura preservar e divulgar o Candomblé, como uma das mais antigas, sagradas e belas religiões da história da humanidade.
· EXÚ: De temperamento irascível, astuto, vaidoso, sensual e por vezes indecente, ele foi enviado por Olorum, o Deus Supremo, para criar o mundo, do qual era o único habitante até a chegada dos outros Orixás.
· CERIMÔNIA DO PADÊ: É o primeiro ritual executado antes de qualquer cerimônia no Candomblé. Através dela são oferecidas oferendas a EXÚ com o intuito de agrada-lo, evitando, assim, que ele venha atrapalhar o desenrolar do culto.
· INICIAÇÃO DE YAÔ: É a primeira apresentação pública do novo adepto da religião. Após algum tempo recluso para purificação do espírito, o YAÔ é introduzido à comunidade religiosa, numa grande festa, onde é saudado pelos membros da casa e pelos Orixás.
· XIRÊ: Seqüência de danças realizadas para cada Orixá, obedecendo a uma ordem existente no pantheon do Candomblé.
· PANTHEON DOS ORIXÁS: Procissão dos médiuns já incorporados nas divindades africanas (Orixá), que demonstrarão através de suas danças as principais características da personalidade de cada Orixá:

. Ogum: Deus do ferro e da guerra.
. Oxum: Deusa da vaidade, da riqueza, dos rios, lagos e cachoeiras.
. Omolú: deus da morte e das doenças da pele.
. Iansã: Deusa dos ventos e tempestades.
. Oxossi: Deus das florestas e da caça.
. Oxalá: Deus supremo, criador do Universo. Pai de todos os Orixás.

MARACATU

Coreografia: Amélia Conrado
Música: Folclore Nordestino, José Ricardo Sousa e Emília Biancardi

O Maracatu, cortejo que representa as festividades da coroação dos reis africanos em terras brasileiras, reflete com pomposidade e ironia a forte influência européia da realeza portuguesa do século XVII nas cerimônias e rituais africanos da época.

Entre os diversos personagens que aparecem no Maracatu, os mais destacados são: o Rei e a Rainha, a Dama do Paço com sua Boneca Calunga, as Baianas e os Embaixadores ou Caboclos de Lança, defensores da realeza e da nobreza.


MACULELÊ

Coreografia: Walson Botelho
Música: Folclore baiano

Dança dramática que teve sua origem nas plantações de cana-de-açúcar, na cidade de Santo Amaro, na Bahia, durante o período colonial. O maculelê era dançado pelos escravos africanos em comemoração à boa colheita da cana e por seu estilo violento foi, também, utilizado como um meio de defesa contra os senhores feudais.

SAMBA DE RODA

Coreografia e mise-en-scéne: Walson Botelho, José Carlos Arandiba e a companhia
Música: Folclore baiano

Forma mais popular e autêntica do samba brasileiro. Tido como a primeira forma do samba atual, o samba de roda era dançado pelos escravos nas senzalas durante suas poucas horas de descanso.


CAPOEIRA

Coreografia e mise-en-scéne: Walson Botelho e José Carlos Arandiba e a companhia
Música: Folclore baiano

Luta de origem africana trazida para o Brasil pelos escravos vindos de Angola.

 

AFIXIRÊ

Coreografia: Rosângela Silvestre
Música: Antônio Portella e Jorge Paim

Afixirê, em Yorubá, significa "dança da alegria". Uma coreografia inspirada na grande influência que os povos africanos tiveram na formação da cultura brasileira, em especial, na Bahia. Uma festa de cores, movimentos, sons e muita alegria.


SAMBA REGGAE

Coreografia: José Carlos Arandiba e a companhia
Música: pot-pourri de músicas do carnaval baiano

O Samba Reggae nasceu da fusão de diversos ritmos afro-brasileiros, como o ijexá, o afoxé, e o samba duro, com ritmos caribenhos. Esta nova manifestação musical a cada ano cria inúmeras danças populares, que são divulgadas durante o carnaval na Bahia para todo o país.


<<Anterior